NÚCELO DE APOIO A SAÚDE DA FAMILIA DE SÃO GERALDO DO ARAGUAIA

  1. IDENTIFICAÇÃO

Nome: NÚCELO DE APOIO A SAÚDE DA FAMILIA DE SÃO GERALDO DO ARAGUAIA
Endereço: AV. SANTA CLARA, N°238, CENTRO – CEP: 68570-000
Prefeito Municipal: Jeferson Douglas Jesus Oliveira
Secretária Municipal de Saúde: Lenice Lage Costa Ferreira

  1. EQUIPE TÉCNICA:

 

  • Wiliâny Mendes Barros – Coordenadora do Nasf e Psicóloga
  • Ivanete Pereira da Cunha – Assistente Social
  • Hiara Bodas Lopes – Psicóloga
  • Jéssyca Barros de Sousa- Fisioterapeuta
  • Eduarda Oliveira Freitas- Fisioterapeuta
  • Sintia Schneider Vasconcelos: Fisioterapeuta
  • Tiphany Oliveira Santos: Fisioterapeuta
  • Jardene dos Santos da Cunha – Fisioterapeuta
  • Ádila Figueira Queiroz- Ginecologista
  • Elmy Jhéssica Almeida – Fonoaudióloga
  • Ana Alice Costa Oliveira- Auxiliar Administrativo
  • Maria Rita Muniz Jardim- Serviços Gerais
  • Raynara Fernandes Simões – Pediatra
  • Taize Silva de Oliveira- Nutricionista

 

  1. QUEM SOMOS:

O NASF é o Núcleo de Apoio a Saúde da Família, sendo uma equipe multiprofissional que atua de maneira integrada e apoio as equipes de saúde da Atenção Básica.

  1. O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS

O profissional do NASF atende em conjunto com o profissional de saúde em consulta compartilhada, realiza atendimentos domiciliares quando a equipe de saúde vê a necessidade, participa de discussões de casos, realiza atividades de educação permanente, ações de promoção de modos de vida saudáveis, educação em saúde, apoio as ações do Programa Saúde na Escola, participa de reuniões intersetoriais e de equipes da saúde,  participa de grupos de gestantes, fazemos parte das reuniões da equipe de saúde mental, entre outras.

A equipe NASF constrói diálogo com diferentes pontos da Atenção por meio da articulação entre a rede de cuidado, Conselho Tutelar, Secretaria de Assistência Social, Equipe de Saúde Mental, Educação e Esporte.

  1. AÇÕES DO NASF

 

  • Atendimentos especializados a população
  • Ações em promoção de saúde
  • Apoiar as equipes dos ESF e demais equipes que solicitarem os serviços do núcleo, tanto na cidade quanto em zona rural.
  1. IDENTIFICAÇÃO

Nome: PSE –  Programa Saúde na Escola.

Endereço: Av. Firmino Costa S/Nº Alto Bec, 68570-000

Prefeito Municipal: Jeferson Douglas Jesus Oliveira

Secretária Municipal de Saúde: Lenice Lage

Coordenadora da Saúde : Enf. Sara Mikahelly Fernandes Tavares

Coordenadora da Educação : Psico. Débora Figueiredo

 

  1. EQUIPE TÉCNICA:
  • Jemina ESF do Centro

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEF Raimundo Ferreira Lima

Ravana Dourado Farias

Gabriel Soares Cirqueira

  • Jayane Carla ESF Alto Socorro

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEF Edson de Jesus

Mikahela Rodrigues Chaves

Gleison Alves Feitosa da Silva

  • Lucelia Gomes ESF Bela Vista

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEM Lenilson Luiz Miranda

Iasmin Vieira de Sousa

Rafael Sousa Feitosa

  • Ondina Marques ESF 2 Irmãos

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEM Walquiria Bentes

Edsons Vieira Lima Neto

Ana Carolina da Silva Luz

  • Poliana Leonel ESF Vila Novo Paraiso

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEM Januario

Ana Vitoria Soares de Sousa

 

  • Mangelson Brito ESF Vila Fortaleza

Adolescentes Porta Voz do PSE na EMEM

Kaike Torres

Matheus Vinot

 

 

  1. QUEM SOMOS

É um programa realizado por meio de ações intersetoriais e interdisciplinares e articulado entre as Equipes de Saúde da Atenção Básica e as Escolas do território, em todas as etapas.

 

  1. O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS

Contribuir para a formação integral dos alunos do Ensino Fundamental e Médio, por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças, adolescentes  e juventudes da rede pública de ensino. Por meio de:

  • Ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti
  • Promoção das praticas corporais, da atividade física e do lazer nas escolas
  • Prevenção do uso de álcool, tabaco crack e outras drogas
  • Promoção da cultura de paz, cidadania e direitos humanos
  • Prevenção das violências e dos acidentes
  • Identificação de educandos com possíveis sinais de agravos de doenças em eliminação
  • Promoção e avaliação de saúde bucal e aplicação tópica de flúor
  • Verificação de situação vacinal
  • Promoção da segurança alimentar e nutricional e da alimentação saudável e prevenção da Obesidade Infantil
  • Promoção da saúde auditiva e identificação de educandos com possíveis sinais de alteração
  • Direito sexual e reprodutivo prevenção de Infecção Sexualmente Transmissíveis/AIDS
  • Promoção da saúde ocular e identificação de educandos com possíveis sinais de alteração
  • Saúde mental
  • Prevenção de COVID-19

 

  1. BENEFÍCIOS EVENTUAIS:
  • Atualização da Caderneta de Vacinação

1. IDENTIFICAÇÃO
Nome: Vigilância em saúde de São Geraldo do Araguaia
Endereço: Av. Ananias Costa (Vila Administrativa) nº 646 Alto Bec, 68570-000
Prefeito Municipal: Jeferson Douglas Jesus Oliveira
Secretária Municipal de Saúde: Lenice Lage Costa Ferreira

2. EQUIPE TÉCNICA:

Cristina Dias da Silva – Coordenadora de Vigilância em Saúde
Marcia Alves da Silva – Coordenadora de vigilância Epidemiológica
Gabriela Queiroz de Souza – Diretora Vigilância Sanitária
Cristiane Costa Lima – Coordenadora de Vigilância em Saúde do Trabalhador
Lindomar de Melo Silva – Coordenador de Endemias
Leila Rodrigues – Coordenadora de Zoonoses

3. QUEM SOMOS:

Vigilância em saúde é um departamento da Secretaria de Saúde que tem como objetivo a analise da situação de Saúde da população e consequentemente organização de ações medidas, procedimentos oportunos e pertinentes aos danos á saúde da população através das seguintes vigilâncias:
Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT)
Vigilância Sanitária
Agente de Controle às Endemias
Zoonoses
Vigilância Epidemiológica

4. O QUE FAZEMOS:
A vigilância em saúde deve integrar no processo de trabalho as ações da vigilância epidemiológica, ambiental, sanitária e saúde do trabalhador, buscando atuação de forma complementar e junto com as equipes da atenção básica, que devem se reconhecer como agentes de vigilância, na identificação dos riscos , das populações vulneráveis, propondo e fazendo intervenções para o controle, prevenção e promoção á Saúde.

5. VIGILÂNCIA SANITÁRIA

5.1 QUEM SOMOS
Vigilância Sanitária e um departamento da secretaria de Saúde que tem como objetivo, eliminar, diminuir e prevenir riscos á saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços em relação a saúde.

5.2 EQUIPE TÉCNICA
• Gabriela Queiroz de Souza (Diretora)
• Antônio Marcos Farias dos Santos (agente)
• Daniel Rodrigues Correa (agente)
• Marcus Vinitius Yasohati Tokuda (agente)
• Reginaldo Oliveira Silva (agente)

5.3 O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS :

Fiscalizações de rotina em todo o município com o objetivo de prevenção e eliminação e diminuição de danos e riscos a saúde publica.Público alvo, todo cidadão que necessitar dos serviços . Promoção e proteção a saúde. Nossos serviços objetivam a prevenção a doenças evitáveis, regulação do produto alimenticios quanto a valdiade e procedência, a regulamentação de propagandas, ambientes, serviços, procedimentos, processos e tecnologias que envolvam risco à saúde.

6. VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR (VISAT)

6.1 QUEM SOMOS
Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT) é um componente do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde que compreende uma atuação contínua e sistemática no sentido de detectar, conhecer, pesquisar e analisar os fatores determinantes e condicionantes dos agravos à saúde relacionados aos processos e ambientes de trabalho, com a finalidade de planejar, executar e avaliar intervenções sobre esses aspectos, de forma a eliminá-los ou controlá-los.

6.2 O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS

Realizamos a inspeção e avaliação dos processos de trabalho, ambientes de trabalho e atividades de risco. Notificamos e orientamos os diferentes setores de trabalho sobre a obrigatoriedade do preenchimento da ficha de notificação e comunicação de acidente de trabalho (CAT). Nosso público alvo é todo cidadão trabalhador e empregador. Realizamos:
Acompanhamento e encerramento de casos notificados de acidentes de trabalho;
Orientação e recomendação sobre ambiente de trabalho saudável e quanto aos riscos ocupacionais nos ambientes de trabalho;
Em parceria com vigilância sanitária, fiscalizamos os estabelecimentos sujeitos à VISA, de modo a inspecionar o processo de trabalho em determinados ambientes, seja público ou privado;
Executamos ações de educação em saúde com temas relacionados ao processo de trabalho e risco ocupacional;
Elaboramos e executamos ações para diminuir a morbidade e mortalidade da classe trabalhadora, de forma integralizada com demais setores que compõem o governo;
Avaliamos o impacto das medidas adotadas para a eliminação, controle e atenuação dos fatores determinantes dos riscos e agravos à saúde, para subsidiar a tomada de decisões das instâncias do SUS e dos órgãos competentes.

7. AGENTE DE CONTROLE ÀS ENDEMIAS

O ACE é um profissional fundamental para o controle de endemias e deve trabalhar de forma integrada às equipes de atenção básica na Estratégia Saúde da Família, participando das reuniões e trabalhando sempre em parceria com o ACS. Além disso, o agente de endemias pode contribuir para promover uma integração entre as vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental.

7.1 O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS
Desenvolver atividades de prevenção de doenças e promoção da saúde mediante ações de endemias e seus vetores abrangendo atividades de execução de programa de saúde desenvolvidos em conformidade com as diretrizes do SUS sob supervisão do gestor municipal de saúde para toda população, urbana e rural.
• Realizamos visitas externas e internas e domicílios imóveis, lotes baldios, fazendo levantamento das situações que possam causar doenças;
• Realizamos reuniões de esclarecimentos e orientação a população quanto a prevenção das doenças causadas pelo vetores aedes aegypti (dengue, zika, vírus, chikungunya e febre amarela) culex ( malária e filariose), Flebotomíneos (leishmaniose tegumentar e leishmaniose visceral);
• Realizamos visitas domiciliares em no mínimo de 90% dos imóveis;
• Participamos de cursos de capacitação e eventos em sua área de atuação (endemias);
• Realizamos atividades de controle larvário focal;
• Realizamos atividades de controle larvário mecânico;
• Realizamos atividades de índice rápido (LIRAa) para monitoramento de indicadores vetorial;
• Realizamos de atividade de controle e monitoramento das leishmaniose;
• Aplicamos inseticidas (quando necessário) com equipamentos motorizados costal e manual e UBV;
• Realizamos atividades básicas em entomologia;
• Realizamos atividades de integração e de prevenção com demais setores de vigilância em saúde;
• Promovemos educação em saúde;

8. UNIDADE DE VIGILÂNCIA DE ZOONOSES

A Unidade de Vigilância de Zoonoses é um departamento da Secretaria Municipal de Saúde que tem como objetivo a execução das ações ,das atividades e das estratégias de vigilância, prevenção e controle de zoonoses de relevância a saúde publica, além da raiva e leishmanioses, estende-se para outras doenças de transmissão vetorial.

8.1 O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS

Vigilância Ativa para todo cidadão que vive na zona urbana e ou zona rural do município que necessite dos nossos serviços. Que são:
• Zoonoses monitoradas por programas nacionais de vigilância e controle do ministério da saúde
• Zoonoses de relevância regional ou local
• Vigilância Passiva :
• Disponibilidade de avaliação e recepção de um animal de relevância para a saúde publica
• Canal de comunicação com a população para informações sobre animais de relevância para a saúde publica
• Integração e articulação com serviços e instituições e privados que, de alguma forma, trabalham com animais;
• Prevenção: Educação em Saúde; Manejo Ambiental; Vacinação Animal; Controle do risco iminente de transmissão de zoonoses; Controle da zoonoses incidente; Controle da zoonose prevalente;
• Garantir o bem estar animal e da população, agindo no controle das zoonoses ,que são doenças que podem ser transmitidas de animais para seres humanos e na prevenção de epidemias.

9. VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

A vigilância Epidemiológica e um departamento da Secretaria Municipal de Saúde que tem como objetivo proporcionar o conhecimento, a detecção de qualquer mudança dos fatores determinantes e condicionados de saúde individual ou coletiva.

9.1 O QUE FAZEMOS E PARA QUEM FAZEMOS
Nosso público é todo e qualquer cidadão que vive na zona urbana e ou rural do município que necessite dos nossos serviços. Quanto á:
• Analisar e acompanhar o comportamento epidemiológico das doenças e agravos de interesse no âmbito municipal;
• Coleta de dados;
• Procedimento de dados coletados ;
• Recomendação das medidas de prevenção e controle apropriados;
• A vigilância epidemiológica reconhece as principais doenças de notificação compulsória e investigação de epidemias que ocorrem em territórios específicos..
• Orientações técnica para os profissionais de saúde, que tem a responsabilidade de decidir sobre execução de ações de controle de doenças e agravos.